Faaaaaaaaaaaaala nação cabeça de queijo!!! Voltamos nesta semana com mais uma “De Olho nos Rookies” para falar sobre um dos grandes problemas da nossa defesa: a posição de cornerback. Há muito tempo os Packers tentam encontrar um jogador que tome conta desta posição, investindo picks altas de draft e trazendo jogadores na Free Agency, mas todas essas ações até agora foram em vão.

Ainda temos muitas esperanças em Kevin King, nossa primeira escolha do ano passado que mostrou um bom potencial já em sua primeira temporada, embora tenha jogado grande parte do tempo que esteve em campo machucado, chegando até a perder algumas partidas por causa de uma lesão no ombro. Damarious Randall conseguiu se recuperar de uma péssima temporada em 2016 e jogou bem em 2017, principalmente da semana 4 em diante, e foi o líder do time em interceptações com 4 no total.

Mas tirando estes dois jogadores, o que temos? Um Davon House que voltou à Green Bay depois de dois anos com os Jaguars e parece ter perdido muita velocidade, além de sofrer com lesões durante o ano; Quinten Rollins que se machucou no início da temporada e ainda não se sabe se continuará no time; Lenzy Pipkins, Donatello Brown e Josh Hawkins que são UDFA e precisam evoluir; e Demetri Goodson, que ninguém sabe o motivo de ainda estar no time. Com isso, é clara a necessidade de adicionarmos talento nessa posição.

Talvez não seja uma need tão urgente a ponto de gastarmos uma escolha de primeira ou segunda rodada no draft, sem contar que a Free Agency deste ano terá bons nomes disponíveis como Prince Amukamara e Kyle Fuller (Bears), Malcon Butler (Patriots) ou Patrick Robinson (Eagles), jogadores que os Packers poderiam contratar. Há ainda a possibilidade de tentarmos uma troca: os Cardinals por exemplo, vão começar a reconstruir o time, será que não estariam dispostos a trocar Patrick Peterson? Ou ainda, será que não valeria a pena investir em Aqib Talib caso o  Denver Broncos resolva mesmo cortá-lo nesta offseason? Com certeza essas transações não seriam fáceis, mas poderíamos tentar. Eles são grandes jogadores da liga e seriam ótimos tutores para o King e os outros jovens cornerbacks que temos.

De qualquer maneira acredito que pelo menos mais um nome vindo do draft é necessário. O nosso novo DC Mike Pettine sempre teve como uma marca de seus trabalhos a presença de cornerbacks muito bons como Darrele Revis e Dominique Rodgers-Cromatie nos Jets e Joe Hayden nos Browns.

Então que tal listarmos alguns dos talentos da posição que estarão disponíveis no draft? Algum deles pode parar em Green Bay e se tornar esse jogador que há tempos buscamos. Vamos à eles:

 

Denzel Ward – Ohio State, #12

Ward é extremamente técnico e atlético, tem velocidade e um excelente trabalho de pés para correr as rotas junto com os recebedores. Ele não possui um tamanho ideal para um outside cornerback (1,78m e 86 kgs), mas consegue compensar a baixa estatura com muita inteligência e sempre está colado no wide receiver.

Com três anos de experiência no College ele foi o substituto de Marshon Lattimore (Saints) na secundária dos Buckeyes e só em 2017 teve 15 passes desviados e 2 interceptações, além de uma grande partida na final da conferência Big Ten contra Winsconsin. Ward está sendo colocado como uma possível escolha do Green Bay Packers na pick 14 da primeira rodada.

Se ele conseguir superar o fator tamanho no nível profissional da mesma forma que fez no universitário pode ser um grande complemento para jogar no lado oposto de Kevin King.

 

Joshua Jackson – Iowa, #15

Também é citado como escolha de primeira rodada dos Packers e para muitos é o melhor cornerback da classe. Além de ser muito rápido e atlético, tem boa envergadura e o fato de já ter jogado como recebedor o faz ser muito bom com as mãos.

Em 2017 foi o líder de toda a NCAA em interceptações, com 8 no total (2 delas retornadas para touchdown) e também teve 18 passes desviados. O que Jackson ainda precisa melhorar um pouco é na marcação homem a homem, onde ele as vezes fica perdido e permite muita separação para o recebedor que está marcando.

No entanto, mesmo com essa ressalva, o jogador de Iowa seria uma escolha e tanto para nós, e transformaria nossa secundária numa das mais jovens e promissoras da NFL. Assim como Denzel Ward, é um cornerback que vale a pick número 14 do draft, sem dúvida.

 

Jaire Alexander – Louisville, #10

Alexander é um jogador “faz tudo” e consegue atuar de maneira sólida marcando seus recebedores, ajudando contra o jogo terrestre e também é bom punt returner. Na temporada de 2016 ele conseguiu marcas muito boas com 9 passes desviados, 5 interceptações um touchdown de retorno de punt, o que deixou todos os scouts animados para ver como seria sua evolução para o ano de 2017.

Entretanto, ele perdeu os primeiros jogos da temporada por causa de uma lesão no joelho e depois ainda acabou quebrando uma mão, o que o tirou de mais 2 jogos. Mesmo com esse ano conturbado ele conseguiu 19 tackles, 4 passes desviados e 1 interceptação durante o tempo que esteve em campo.

Com certeza ele será um dos jogadores mais observados no Combine e segundo os analistas sua velocidade vai espantar à todos no 40 yards dash.

Acredito que a preocupação das franquias com os problemas físicos de Alexander o farão cair para o segundo dia do draft. Porém, se ele estiver de fato livre dessas lesões pode ser um bom valor para os Packers investirem.

 

Mike Hughes – UCF, #19

Um jogador que não estava “no radar” das franquias da NFL até o início da temporada de 2017, mas que com um ano fantástico (49 tackles, 11 passes desviados, 4 interceptações e 4 touchdowns) chamou a atenção de todos e foi um dos grandes responsáveis pela temporada invicta do time de Central Florida.

Hughes é muito rápido, ágil, tem bom trabalho de pés e é bom cobrindo rotas longas. Além disso, é um excelente retornador de punts e kick offs. A maioria dos analistas o considera um talento de segunda rodada, embora haja alguns que o colocaram como um talento top 15 (Daniel Jeremiah do nfl.com por exemplo listou Hughes saindo na escolha 14 para Green Bay em seu último mock draft).

Contra ele pesa o fato de jogar numa conferência mais fraca e uma parte dos scouts diz que desiste fácil de algumas bolas, o que não pode acontecer se ele quiser se dar bem no nível profissional. É outro atleta do qual esperam um grande desempenho no Combine, o que pode fazer com que ele melhore seu stock de draft.

Não seria a minha escolha preferida, mas acho que com uma boa comissão técnica (esperamos que os Packers estejam montando uma) ele pode se tornar um jogador muito bom.

 

Isaiah Oliver – Colorado, #26

Tem um bom tamanho para a posição (1,85 m e 88 kgs) e possui números bem consistentes. O que chama mais atenção em Oliver são seus 25 passes desviados ao longo da carreira, sendo 13 somente em 2017.

Ele também um jogador que contribui muito nos special teams retornando punts. Segundo os analistas, a fraqueza dele é a técnica ainda pouco desenvolvida e a dificuldade marcar em zona. Apesar disso, a maioria considera Isaiah Oliver como uma sólida e segura pick de segundo dia de draft.

Caso os Packers consigam trazer um cornerback mais experiente na Free Agency, não vejo razão para não arriscar uma escolha de terceiro round nele.

 

Tarvarus McFadden – Florida State, #4

Sem dúvida é um dos mais talentosos cornerbacks dessa classe, além de jogar numa universidade conhecida por produzir ótimos defensive backs para a NFL (Jalen Ransey por exemplo). Ele é muito bom no press covarage e teve 8 interceptações em 2016, quando liderou a NCAA nesse quesito.

Tem boa altura todas as características físicas para ser um excelente jogador para o time que o escolher. Porém, nem tudo são flores para McFadden. Ele foi muito irregular durante toda a carreira e teve uma temporada de 2017 para ser esquecida, assim como toda a equipe de Florida State.

Dizem que ele tem problemas para controlar suas emoções em campo, o que faz com que algumas vezes o seu talento não seja o suficiente para conseguir fazer boas jogadas. As entrevistas com os times antes do draft serão de fundamental importância para ele. Por enquanto está cotado para sair entre a segunda e a quarta rodada.

 

Outros jogadores para ficarmos de olho:

Carlton Davis – Auburn #6

Donte Jackson – LSU #1

J. C. Jackson – Maryland #7

Nick Nelson – Winsconsin #11

Iman Marshall – USC #8

Quenton Meeks – Stanford #24

Brandon Facyson – Virginia Tech #31

 

É isso ai galera cheesehead! Esses são alguns nomes que podem fazer parte do nosso elenco em 2018. Claro que muita coisa ainda vai mudar até o dia do draft, principalmente por causa do desempenho desses atletas no Combine, ou caso os Packers contratem um CB na Free Agency algum outro jogador pode ser escolhido nos late rounds para ajudar a compor o elenco. Ainda assim, já podemos ter uma boa idéia do que pode acontecer no final de Abril.

Na semana que vem voltaremos para falar da posição de Tight-ends. Até lá e…GO PACK GO!!!