Faaaaaaaaaala nação cabeça de queijo!!! Voltamos com a nossa coluna “De Olho nos Rookies”, mais perdidos que Mike McCarthy no play calling e mais animados que Dom Capers na cabine do Lambeau Field, para falar do desempenho dos nossos calouros de 2017 no jogo contra mais um rival de divisão: o Detroit Lions. Sabemos que a temporada não está sendo fácil, sobretudo devido às lesões em todos os setores da equipe e erros que estão se repetindo ao longo das últimas partidas.

Na semana 9 o nosso glorioso Green Bay Packers  recebeu o time de Detroit em casa e acabou derrotado por 30 a 17. Os Packers que vinham da semana de bye não conseguiram pressionar Matt Stafford e nossa defesa sofreu com o jogo terrestre consistente do adversário e as falhas na secundária.

A derrota poderia ter sido pior…não fossem as dificuldades do Lions em finalizar suas campanhas na redzone, bom para eles que esses pontos perdidos não fizeram falta, afinal de contas não é tão difícil ganhar de um time que não consegue forçar nenhum punt durante o jogo. Parece que vocês não aproveitaram as 2 semanas livres para treinar não é querida comissão técnica de Green Bay?

Mesmo assim tivemos algumas “alegrias” durante o jogo: a grande maioria dos calouros tiveram atuações que podemos classificar como regulares ou boas, e acredito que a torcida esteja gostando de ver o espaço que os garotos vem ganhando no time com o passar das semanas. Além disso, tivemos a tão aguardada estréia de Vince Biegel, o orgulho de Wisconsin, da qual falaremos com mais detalhes mais tarde.

Por enquanto, vamos às notas dos nossos outros rookies 2017:

(fonte: packers.com)

 

Kevin King – Cornerback

Até este momento na temporada King não foi um jogador que se destacou pelas big plays (um bom hit ou uma interceptação, por exemplo), mas vem mostrando uma ótima capacidade atlética e boa marcação homem a homem. Contra os Lions foi possível perceber que Matt Stafford preferiu lançar contra House e Randall do que contra King, e olha que o quaterback foi praticamente impecável no Monday Night Football.

É claro que falhas ocorreram, como num escorregão que King deu ao tentar marcar um passe na sideline e acabou cedendo o firstdown para Detroit; ele também continua tendo dificuldades na marcação por zona. Entretanto, suas qualidades na marcação individual e no combate ao jogo terrestre, além da segurança que ele mostra nas jogadas (vale lembrar que King não cedeu nenhuma big play para os nossos adversários, e estamos na metade da temporada) já o transformaram sem dúvida nenhuma no nosso CB número 2, e com mais treinamento tenho certeza que ele poderá a médio prazo assumir o posto de melhor jogador da secundária de Green Bay.

Nota: B – 

 

Josh Jones – Safety

Nosso camisa #27 começou a partida como titular e com o objetivo de aproveitar cada uma das chances que terá daqui até o final da temporada regular. Afinal, Kentrell Brice está machucado e não deve voltar tão rápido, o que me faz acreditar que Jones é mais um dos calouros que caminha para assumir a titularidade em nossa defesa.

Embora não pareça, pois Marvin Jones e Golden Tate tiveram juntos 220 jardas recebidas, Josh Jones teve um jogo sólido, sempre mostrando muita velocidade na marcação e força nos tackles. Foi o quarto do time em tackles totais com 8 (1 tackle for loss), e é seguro dizer que se fosse ele os Lions teriam muito mais jardas aéreas do que as 331 que conseguiram na última segunda feira.

O que desanima a torcida é que Jones parece não estar sendo utilizado da maneira que deveria (mais uma de Dom Capers) e muitas vezes é colocado no fundo do campo marcando em zona, como na jogado do touchdown de Marvin Jones. Ora, desde a época do draft se falava que a principal qualidade dele era jogar próximo ao box, por causa da velocidade, e poderia ser utilizado como um híbrido entre safety e linebacker, ficando na marcação as vezes, blitando em outras…se lembram do jogo contra os Bengals? Pois é, foi o único jogo da temporada em que Jones foi realmente utilizado da maneira citada acima, e foi o MVP da nossa defesa.

Nota: B

 

Montravius Adams – Defensive Tackle

Depois de alguns jogos ficando inativo, Montravius finalmente teve mais chances de jogar e participou de 18 snaps defensivos ao todo, além de 7 jogadas nos special teams. Não teve nenhum lance que chamasse mais a atenção, mas já é animador ver que ele está se recuperando bem da lesão que teve e a partir de agora deve começar a receber mais chances.

Em um time com o pass rush quase nulo como o nosso, ter mais uma arma jogando pelo meio da linha defensiva traz alguma esperança. Vamos lá Monty!!!

Nota: D+

 

Vince Biegel – Outside Linebacker

Finalmente!!! A estréia mais aguardada pela torcida aconteceu…depois de se recuperar de uma lesão no pé ainda no rookie minicamp Biegel conseguiu realizar seu sonho de jogar pelos Packers no Lambeau Field. Não foi como ele queria, a vitória não veio, mas pode ter certeza que o garoto está muito feliz.

É claro, não vamos nos deixar tomar por toda a hype em cima dele, por favor. Contra os Lions foi nítida a sua falta de ritmo de jogo principalmente no pass rush, embora tenha tido um desempenho decente contra a corrida.

Jogou 19 snaps na defesa e 11 nos especialistas, e a expectativa é que com o tempo ele irá tomar espaço de Kyler Fackrell e Chris Odom. Não esperem que ele tenha 10 sacks no ano ou coisa parecida, pois se trata de um rookie que ainda precisa se desenvolver muito. Vamos apenas torcer e acreditar que conseguira passar por essa fase de amadurecimento e aí sim, se tornar um jogador relevante para nossa defesa.

Nota: D+

(fonte: packers.com)

 

Jamaal Willians – Running Back

Sem dúvida nenhuma foi o calouro que teve mais à comemorar no Monday Night. Não, ele teve uma corrida espetacular ou um jogo de mais de 100 jardas, entretanto, depois alguns jogos em que atuou só nos times especialistas, Jamaal deve ter aproveitado a semana de bye para treinar e teve mais chances contra os Lions.

Em seus 9 snaps no ataque ele correu, recebeu passes e finalmente marcou seu primeiro touchdown como profissional, e essa atuação deve ter tirado um enorme peso das costas dele. Agora é continuar evoluindo e tentar recuperar o espaço perdido.

Se Willians voltar a jogar bem nosso backfield tem muito potencial…já que com ele, Montigomery e Jones podemos ter uma variação de jogadas muito grande no ataque devido ao estilo de ambos, além de nenhum deles ter que correr 20, 25 vezes por jogo, o que vai protegê-los de possíveis lesões.

Nota: C

(fonte: packers.com)

 

Aaron Jones – Running Back

Difícil entender o que aconteceu…para quem vinha sendo nosso melhor jogador de ataque nas partidas anteriores, com ótimas atuações e mais de 100 jardas de média por jogo, terminar com apenas 5 corridas para 12 jardas é no mínimo, estranho. Praticamente Jones jogou só no primeiro quarto e não teve tempo nem de “esquentar” no jogo e, o mais estranho é que isso parece ter acontecido por escolha de McCarthy, já que nenhuma lesão foi relatada.

É claro que sabemos da importância de haver um revezamento entre os running backs ao longo de uma partida e que Montigomery e Wiilians tiveram uma atuação decente, mas isso não explica a escassez de snaps para Aaron Jones e o abandono do jogo terrestre ainda no início do segundo tempo…esperamos que isso mude na semana 10.

Nota: D

 

Justin Vogel – Punter

Desta vez Vogel não foi bem. Ele que vinha sendo um destaque entre os calouros do time, teve contra os Lions uma partida no máximo, razoável.

Sua média de jardas por chute que vinha sendo próxima de 50 jardas, foi de apenas 39.7 na segunda-feira, quando também puderam ser percebidos algumas dificuldades no entrosamento entre ele e o long snapper Derek Hart. No entanto, nenhum jogador terá uma boa atuação em todas as partidas, e Vogel ainda tem bastante crédito, vamos torcer para que volte a boa forma na próxima semana.

Nota: C –

 

Chris Odom – Outside Linebacker

Foi mais um jogo com poucas oportunidades (11 snaps). E elas devem diminuir ainda mais na medida em que Vince Biegel for ganhando espaço no time.

Apesar disso, foi o melhor jogo de Odom pelos Packers…ele teve 3 tackles e 1 tackle for loss. Vem se destacando no combate ao jogo corrido, mas não demonstra muita habilidade caçando o QB.

Nota: C

(fonte: packers.com)

 

Lenzy Pipkins – Cornerback

Jogou apenas nos times especialistas.

Nota: D –

 

*Devante Mays (RB), Adam Pankey (OT) e Donatello Brown (CB) não jogaram.

 

É isso aí torcida cheesehead, mais uma semana se foi e nos encontramos num desanimador 4-4 na temporada. Na semana 10 Green Bay vai ao Soldier Field enfrentar o Chicago Bears de Mitch Trubisky em mais um confronto da maior rivalidade da história da liga.

Os Bears vem com uma defesa competente e um jogo corrido bom, e sabemos que os Packers não são nem sombra do time que conseguiu uma vitória fácil na semana 4 contra os mesmos Bears. Logo, o jogo será difícil e é complicado traçar qualquer tipo de previsão.

Temos que torcer para que o ataque liderado por Brett Hundley comece a funcionar e ajude a defesa a ficar o menor tempo possível em campo, caso contrário poderemos ter mais uma longa tarde de lamentações. Porém, se jogarmos bem a confiança pode voltar e essa partida pode se tornar o nosso divisor de águas na temporada, e nosso papel como torcedores é acreditar nisso até o fim. O Packers é grande demais para nós fiquemos desanimados e já pensando na próxima temporada.

É muito cedo para falar em tank e boas posições no draft (assuntos recorrentes entre os torcedores ultimamente), pensaremos nisso após o final da temporada. Até lá, vamos continuar torcendo para que o time melhore e agindo de maneira honrada. Packers sempre galera…GO PACK GO!!!