Rookie do Cheeseheads Brasil, torcedor do Maior time da NFL desde os 11 anos. Fanático pela história desse tal time de Wisconsin que amamos. E Torcedor do Legítimo Campeão da Copa do Brasil de 94.

Exatos 50 anos atrás, o lendário Packers de Vince Lombardi chegou ao seu auge. Não foi o primeiro, nem o último título. Não foi um jogo de Super Bowl, não foi um passeio histórico. Mas foi o jogo mais icônico dos anos 1960, talvez da história e não só das duas equipes envolvidas, mas talvez de toda a NFL.

1967 foi um ano de grandes mudanças. Em janeiro o campeão da NFL, Green Bay Packers, enfrentou o campeão da AFL, Kansas City Chiefs, em um jogo impensável anos antes. Mais tarde esse jogo seria conhecido como o primeiro Super Bowl.

Fora do mundo da bola oval, 67 foi marcado por vários acontecimentos, o lançamento do mais icônico disco dos Beatles, Sgt. Pepper’s Lonely Hearts Club Band, Ronald Reagan assumiu o seu primeiro cargo político, como Governador da Califórnia, a Guerra do Vietnã seguia a todo vapor, o guerrilheiro Ernesto Che Guevara foi morto na Bolívia, Thurgood Marshall foi o primeiro negro a fazer parte da Suprema Corte dos Estados Unidos, a ditadura militar brasileira ficou mais pesada após a morte até hoje suspeita de Humberto Castello Branco, Elizabeth Taylor ganhou o seu segundo Oscar de melhor atriz por seu papel em “Quem tem medo de Virginia Woolf?”, enquanto o filme “O Homem que não vendeu sua alma” levou as estatuetas de melhor ator(Paul Scofield), melhor diretor(Fred Zinnemann) e melhor filme, Muhammad Ali perdeu o seu título mundial dos pesos pesados por se recusar a lutar na Guerra do Vietnã, o Philadelphia 76ers de Wilt Chamberlain foi campeão da NBA, interrompendo uma sequência de 8 títulos do incrível Boston Celtics de Bill Russell e John Havlicek, Israel enfrentou vários países árabes na polêmica Guerra dos Seis Dias, as bandas Pink Floyd, The Doors e The Jimi Hendrix Experience lançam seus álbuns de estréia, no Brasil um jovem Chico Buarque conquistava seu espaço com a canção “A Banda”. Um ano histórico como esse não poderia terminar de maneira melhor.

No último dia do ano, Green Bay Packers e Dallas Cowboys se encontraram para jogar a final da NFL, o que hoje equivale à final da NFC, pois na época a NFL e a AFL ainda não haviam completado sua fusão.

O Packers terminou aquela temporada regular com uma campanha de 9-4-1, com destaques para o quarterback Bart Starr e o defensive back Bob Jeter, com 8 interceptações. Já o time texano, treinado pelo também lendário Tom Landry, e com o quarterback Don Meredith under Center, terminou a temporada com 9 vitórias e 5 derrotas.

Nos playoffs, os texanos venceram com facilidade o Cleveland Browns(9-5) por 52×17. Em Wisconsin, o Packers enfrentaria o time de melhor campanha da temporada regular, o Los Angeles Rams(11-1-2). Teoricamente sendo o pior time em campo, Lombardi passou a semana trabalhando o emocional de seus jogadores usando uma famosa passagem bíblica.

Lombardi usou as palavras contidas na Primeira Carta de São Paulo aos Coríntios 9.24-25: “Não sabeis vós que os que correm nos estádios, todos, na verdade, correm, mas um só leva o prêmio? Correi de tal maneira que o alcanceis. Todo atleta em tudo se domina; aqueles, para a alcançar uma coroa corruptível; nós, porém, a incorruptível”.

Starr depois disse que o discurso pré-jogo de Lombardi naquele dia foi o mais inspirador que ele já fez. Os Packers entraram em campo prontos para ganhar, e assim o fizeram, 28×7 e passagem garantida para a final.

O jogo estava marcado para Green Bay na véspera do ano novo de 1968. Porém, um fator preocupava a direção da NFL: o frio. A previsão dizia que seria a véspera de ano novo mais fria da história da cidade, com temperatura estimada em -15 graus Celsius. Foi levantada a hipótese de adiar a partida para o dia seguinte, mas as previsões diziam que seria ainda mais frio no primeiro dia de 68. Decidiu-se então que -15 era uma temperatura “jogável” e o jogo iria acontecer.

Chegou o dia da grande final, e o frio aumentou sua intensidade, ao invés dos -15, os termômetros marcavam -25 com ventos frios que levavam a sensação térmica para -45. O grande safety cheesehead não conseguiu usar o carro de manhã pois as baterias estavam congeladas. Preocupado ele disse: “Está frio demais para jogar, eles vão cancelar esse jogo”. Mas o jogo não foi cancelado pelo frio, que também não afastou os fanáticos habitantes de Green Bay que compareceram em peso ao estádio. 51.000 pessoas enfrentaram as baixas temperaturas para ir ao Lambeau Field.

O frio era tanto que até o sistema de aquecimento do gramado falhou, mas reza a lenda que Vince Lombardi mandou desligar para aumentar a dificuldade dos jogadores adversários acostumados com o calor texano. Depois disso o sistema de aquecimento do Lambeau Field ganhou o apelido de “A Loucura de Lombardi”.

Os times estavam em campo, tudo pronto para a partida começar. O árbitro Norm Schachter apitou o começo do jogo, mas o frio fez o apito grudar em seus lábios tirando sangue quando finalmente foi arrancado, tal fato fez com que todas as jogadas do jogo fossem sinalizadas pela arbitragem aos gritos.

Com a bola finalmente em jogo, o time verde e dourado gastou cerca de 9 minutos para chegar em uma posição privilegiada, Starr conectou um passe de 8 jardas para Boyd Dowler abrir o placar. Dallas recebeu a bola e rapidamente foi forçado a chutar um punt. O Packers seguiu avançando e chegou ao campo de ataque, então Starr fingiu entregar a bola para Ben Wilson correr, mas na verdade ele continou com a mesma e achou Boyd Dowler novamente, dessa vez em uma bomba de 43 jardas para aumentar a vantagem.

O time do Cowboys queria reagir logo, e na segunda jogada do drive o quarterback texano Don Meredith tentou forçar um passe, mas foi interceptado por Herb Adderley que correu 15 jardas sendo derrubado já no campo de ataque. Porém aquela defesa dos Cowboys não era conhecida como “A Defesa do Apocalipse” à toa, seguraram as duas primeiras descidas e George Andrie conseguiu um sack em cima de Bart Starr forçando Green Bay a devolver a bola. Mais um posse de Dallas sem resultado, mais um punt, bola novamente com Green Bay. Foi a vez da defesa do apocalipse aparecer novamete, com Willie Townes conseguindo um sack em cima de Starr que resultou em fumble, no qual George Andrie retornou para a endzone. Os times seguiram jogando sem pontuar, Dallas iria devolver a bola, Willie Wood pediu fair catch no punt, mas o frio fez a bola cair de suas mãos e Phil Clark a recuperou para Dallas à apenas 17 jardas da endzone adversária. A defesa cheesehead conseguiu evitar o touchdown, mas Danny Villanueva chutou um Field goal de 21 jardas que deu números finais à primeira metade de jogo. Green Bay 14×10 Dallas.

No intervalo a banda da Universidade de Wisconsin deveria se apresentar, mas o show foi cancelado, pois alguns instrumentos congelaram e sete membros da banda foram ao hospital com hipotermia.

A partir do início do terceiro quarto, Tom Landry mostrou por que é uma das maiores mentes defensivas da história da liga, e a defesa de Dallas segurou o ataque liderado por Bart Starr durante quase todo o restante do jogo. O problema para os texanos é que os cabeças de queijo também defenderam como se suas vidas dependessem disso.

Na primeira posse do terceiro período, Don Meredith levou os Cowboys até a linha de 18 jardas, quando sofreu um fumble forçado por Lee Roy Caffey e recuperado por Herb Adderley. Bola com os Packers, excelente trabalho defensivo dos texanos, punt de Green Bay. Meredith novamente fez um bom trabalho e levou os Cowboys novamente para o campo de ataque, mas após um sack de Lee Roy Caffey, Villanueva teve que ser acionado para um Field goal de 47 jardas que ele normalmente acertaria, mas não naquelas condições, chute ruim e bola novamente de Green Bay. Porém mais um vez se viu um excelente trabalho defensivo dos texanos resultando em punt de Green Bay

Na primeira jogado do quarto período, o ataque texano desenhou um jogada para enganar a defesa verde e dourada. Meredith entregou a bola para Dan Reeves, a defesa se preparou para uma corrida, mas Reeves lançou a bola em um lançamento longo de 50 jardas para Lance Rentzel que virou o jogo. 17×14 para os Cowboys.

No próximo ataque o Packers avançou até o campo de ataque, mas Don Chandler errou o Field goal que empataria o jogo, bola novamente com Dallas, porém o ataque não foi bem-sucedido e a bola retornaria para Green Bay. Punt de Villanueva e bola na linha de 32 jardas do campo de defesa do Packers.

Faltavam pouco mais de 5 minutos, Starr teria que liderar uma campanha de quase 70 jardas em condições totalmente adversas e a defesa do apocalipse teve uma atuação espetacular que provavelmente renderia uma vitória contra qualquer outro time que já jogou futebol americano. Exceto um. Exceto aquela máquina desenhada nos mínimos detalhes por Vince Lombardi para fazer apenas uma coisa, mas essa única era feita com perfeição, e essa coisa era jogar futebol americano. Naquele momento os 51.000 torcedores que venceram o frio e foram ao Lambeau veriam a história acontecer diante de seus olhos. Naquele momento começava um drive que mudaria a história desse jogo histórico.

Starr recebeu o snap, procurou uma opção de passe comprido, todos os jogadores estavam marcados, Starr então optou por um passe seguro para o running back Donny Anderson e um ganho de 6 jardas. Na jogada seguinte, o fullback Chuck Mercein correu para a linha lateral com a clara intenção de parar o relógio. Com tempo para pensar Starr preparou mais um jogada, bola no meio para Dowler, 13 jardas de avanço, no tackle após a recepção Dowler se machucou, entrou em campo Max McGee, o herói improvável do Super Bowl I.

Na jogada seguinte Starr deu a bola para Donny Anderson que foi derrubado atrás da linha de scrimmage por Willie Townes resultando em 9 jardas perdidas. Após essa jogada, Starr completou dois passes seguidos para Anderson, resultando em 21 jardas de avanço. Mais um snap, Starr achou Chuck Mercein livre para correr até a linha de 11 jardas.

1 minuto e 11 segundos. Packers na redzone. Starr novamente conectou um passe para Mercein, levando o time até a linha de 3 jardas. Snap, Starr, bola para Donny Anderson, corrida de 2 jardas que garantiu o first down.

Apenas uma jarda da vitória. Apenas uma jarda para a glória. Starr deu a bola para Anderson que escorregou. Nova jogada, novamente Anderson, outro tropeço no gelo. Starr pede tempo.

A equipe se reuniu com Lombardi durante o tempo pedido. Se Starr fosse derrubado o jogo acabava e Dallas venceria, e ele já havia sido derrubado 8 vezes na partida. Tudo teria que ser perfeito naquele último lance, mas afinal, é do Packers de Lombardi que estamos falando, tudo seria perfeito.

16 segundos no relógio. Starr percebeu o motivo das quedas de Anderson, uma placa de gelo pouco na sua frente. No tempo pedido, Starr havia conversado com Jerry Kramer, apenas com ele e Vince Lombardi, antes da bola chegar em suas mãos, Starr chamou mais um corrida, dessa vez com Mercein. Snap, bola na mão do eterno camisa 15, todo o time se preparando para a jogada, Mercein vai em direção a Starr.

A bola nunca chegou nas mãos de Mercein, Starr a manteve consigo. O defensor Jethro Pugh rapidamente percebeu do que se tratava, seria uma corrida, mas quem tentaria entrar na endzone não seria Mercein, seria Bart Starr.

Pugh corre desesperadamente para tentar parar Bart Starr. Mas então Jerry Kramer aparece junto com o Center Ken Bowman. Em uma jogada dupla eles bloqueiam Pugh e Starr tem o caminho livre para entra na endzone. Starr tem o caminho livre para entrar, ainda mais, na história.

Touchdown Green Bay Packers.

Com o touchdown de Bart Starr, os Packers venceram por 21×17. Um dia histórico, pela terceira vez seguida, o campeão da NFL era o mesmo.

Voltando às palavras do apóstolo Paulo: “Não sabeis vós que os que correm nos estádios, todos, na verdade, correm, mas um só leva o prêmio? Correi de tal maneira que o alcanceis. Todo atleta em tudo se domina; aqueles, para a alcançar uma coroa corruptível; nós, porém, a incorruptível”.

Um só leva o prêmio. E esse prêmio foi de Green Bay, pois Dallas buscava a vitória, corria para alcançar uma coroa corruptível. O Packers buscava mais, buscava se firmar na história. Buscava a glória. Eles corriam para alcançar uma coroa corruptível, nós, porém, a incorruptível. E assim foi feito, aqui estamos, 50 anos depois, ainda falando daquele jogo.

Mas ainda restava um último desafio. O segundo Super Bowl contra os campeões da AFL, ainda faltava ganhar do Oakland Raiders. O que aconteceu nesse jogo?

Isso é história para outro dia.

 

Abraços e Go Pack Go!