Rookie do Cheeseheads Brasil, torcedor do Maior time da NFL desde os 11 anos. Fanático pela história desse tal time de Wisconsin que amamos. E Torcedor do Legítimo Campeão da Copa do Brasil de 94.

15 de janeiro de 1967 foi uma data que mudou o mundo do futebol americano. Naquele dia, ocorreu o primeiro Super Bowl ou, como foi chamado na época, NFL-AFL World Championship Game, em um Los Angeles Memorial Coliseum com 63 mil pessoas, que viram o confronto para definir de vez qual era o melhor time do país.

Mas antes de falar desse jogo, vamos contextualizar o que acontecia na NFL naqueles tempos.

Nos anos 50, a NFL começou a crescer muito em popularidade, principalmente após a final entre Baltimore Colts e New York Giants, que foi o jogo mais assistido da história até então. Comandado por Johnny Unitas, o time de Baltimore levou o título.

Vendo uma oportunidade nisso, o empresário Lamar S. Hunt decidiu criar a American Football League, a AFL. Hunt não quis concorrer diretamente com a NFL logo de cara e, por isso, os times da AFL eram criados em cidades onde não havia times da NFL, como Oakland, Buffalo, Houston e San Diego. Houveram exceções como o New York Jets, na cidade onde a NFL já tinha o Giants, e o Dallas Texans, que se mudou pouco depois para Kansas City e virou o Chiefs.

Em 1960, a AFL teve sua primeira temporada, vencida pelo Houston Oilers, que também ganharia no ano de 1961. Nos anos seguintes, outros times também começaram a ganhar, como o Dallas Texans (que depois viria a ser o Kansas City Chiefs) em 1962, o San Diego Chargers em 1963 e o Buffalo Bills em 1964 e 1965.

Nesse mesmo período, a NFL via nascer uma dinastia: o Green Bay Packers treinado por Vince Lombardi. Em seu segundo ano no time, Lombardi levou o Packers à final da NFL de 1960, mas o título acabou ficando com o Philadelphia Eagles (SIM!!!), na única derrota de Lombardi em um jogo de playoffs. Nos dois anos seguintes, a taça ficou em Green Bay, com 2 vitórias sobre o Giants, 37×0 em 1961 e 16×7 em 62. No ano seguinte, o New York Giants chegaria à final mais uma vez, sendo derrotado pelo Chicago Bears. Em 1964, o campeão foi o Cleveland Browns, que também chegaria na final de 1965, vencida novamente pelo Packers de Lombardi.

Acho que já deu para entender o que ocorria durante a década que viu os Beatles, o assassinato de JFK e o homem na lua.

A AFL começou a crescer e chegou a um patamar em que jogadores da já estabelecida NFL migravam para a liga novata, o que fez muitos pensarem que os times da AFL já podiam bater de frente com os mais tradicionais times da NFL. Essa migração também teve outro efeito: a supervalorização dos jogadores que, eventualmente, levaria uma das ligas à falência (ou até mesmo as duas). Para resolver isso, as duas ligas fizeram um acordo que previa uma fusão gradual das ligas, que seria concluída no ano de 1969. Até existiria “apenas” o jogo entre os dois campeões para definir o melhor time do país. Surgia, então, o AFL-NFL World Championship Game ou, como chamamos hoje em dia, Super Bowl.

Liderados pelo quarterback Len Dawson, o Chiefs foi o melhor time da AFL em 1966, com uma campanha de 11 vitórias, 2 derrotas e 1 empate, que lhes rendeu o título da AFL Western. Na final da AFL, contra o Buffalo Bills, no primeiro dia de 1967, Len Dawson lançou 2 touchdowns e o running back Mike Garrett correu para mais dois, não dando chance ao Buffalo Bills. Vitória do Chiefs por 31×7.

Já na NFL, os atuais campeões repetiram o feito. Após uma campanha de 12 vitórias e 2 derrotas, o Packers iria enfrentar o Dallas Cowboys na final da NFL, em Dallas (final que se repetiria no ano seguinte, em Green Bay, no lendário Ice Bowl). O Packers venceu o jogo por 34×27, com 3 touchdowns de Bart Starr, que foi MVP da NFL naquela temporada. Starr teve sua camisa #15 aposentada anos depois.

Os dois campeões já eram conhecidos. Mas qual era o melhor?

Essa pergunta foi respondida no dia 15 de janeiro de 1967, quando Packers e Chiefs entraram no gramado do Los Angeles Memorial Coliseum para fazer o maior jogo até então e para marcarem seus nomes na história.

Naquele dia, nada mais nada menos que 17 futuros membros do Hall of Fame participaram da partida. Pelo lado verde da final, foram 11: o técnico Vince Lombardi e os jogadores Bart Starr, Ray Nitschke (que teria sua camisa #66 aposentada), Forrest Gregg, Paul Hornung, Herb Adderley, Willie Davis, Henry Jordan, Dave Robinson, Jim Taylor e Willie Wood. Além de Jerry Kramer, que só não está no Hall da Fama por uma enorme injustiça.

Logo no primeiro drive, o wide receiver titular Boyd Dowler se machucou e teve que sair da partida. No seu lugar, entrou o experiente reserva de 34 anos, que durante toda a temporada só havia recebido 5 passes, Max McGee, guarde esse nome.

O placar ficou zerado até a segunda campanha de Green Bay, quando Bart Starr conectou um passe para Max McGee, que recebeu com apenas uma mão e correu para entrar na endzone e dar números iniciais a partida.

Porém, no começo do segundo quarto, Dawson liderou uma campanha de 66 jardas que resultou em touchdown. Logo no drive seguinte, o Packers avançou no campo e, em uma corrida de 14 jardas, Jim Taylor devolveu a liderança para o Packers. O Chiefs recebeu a bola querendo pontuar logo, mas Dawson sofreu um sack e perdeu 8 jardas, mesmo assim não se abalou e guiou o Chiefs em uma campanha que terminou em field goal. Fim de primeiro tempo: Packers 14×10 Chiefs.

Apesar da vitória parcial, Lombardi não estava satisfeito. Segundo Willie Davis: “o técnico estava preocupado”.

No começo do segundo tempo, Dawson liderava mais uma campanha boa do Chiefs até que, em uma blitz, Dave Robinson e Le Roy Caffey pressionaram o quarterback, que se livrou da bola para não sofrer outro sack. Porém, no caminho da bola estava Willie Wood, que correu 50 jardas e só foi parado na linha de 5 jardas do campo de ataque. Starr apenas entregou a bola para Elijah Pitts correr as 5 jardas e aumentar a vantagem.

Essa jogada mudou o rumo da partida, a defesa de Green Bay passou a anular totalmente o ataque de Kansas City. No drive seguinte, Len Dawson sofreu dois sacks, forçando Kansas City a chutar um punt da linha de 2 jardas, Green Bay começaria seu drive já na linha de 44 do campo de defesa. Starr foi avançando o ataque até novamente achar McGee, que marcou seu segundo touchdown da partida. Com 28×10 no placar, bastou ao Packers começar a administrar a vantagem.

Uma nova pontuação só viria a acontecer no meio do quarto período, quando Elijah Pitts marcou seu segundo touchdown e deu números finais à partida: Green Bay Packers 35×10 Kansas City Chiefs. Pela 10ª vez, o Green Bay Packers era campeão da NFL e, pela primeira vez, erguia a taça do Super Bowl, que anos mais tarde receberia o nome de Vince Lombardi.

Bart Starr foi o MVP do jogo. Starr completou 16 passes para 250 jardas, 2 touchdowns e 1 interceptação. Porém, o grande destaque foi mesmo o recebedor substituto que, numa dessas ironias do destino, entrou e decidiu a partida. Max McGee recebeu 7 passes para 138 jardas e 2 touchdowns.

No ano seguinte, o Packers retornaria ao Super Bowl contra o Oakland Raiders. Porém, isso é história para outro dia.