Começou a gostar do Packers ao jogar Tecmo Super Bowl, no SNES, em 95. Logo depois, viu Green Bay ser campeão no Super Bowl XXXI e, desde então, é um cabeça-de-queijo.

Antes de começar, precisamos fazer uma introdução sobre o que foram os times do Green Bay Packers, entre 1968 e 1991. Entre a saída do técnico multi-campeão Vince Lombardi, até a chegada de Mike Holmgren – que levou o Packers ao título, no Super Bowl XXXI -, o Packers tinha o seguinte retrospecto:

  • Um título de divisão
  • Duas aparições em playoffs
  • Uma vitória em playoffs
  • Cinco temporadas com mais vitórias do que derrotas

Contudo, mesmo nessa época difícil, existiram times competitivos e que fizeram os cabeças-de-queijo terem esperança de dias melhores. Segue a lista dos cinco melhores, entre 1968 até 1991.

5. 1984

Liderado pelo quarterback #12 Lynn Dickey, o Packers começou da pior forma possível a temporada: depois da vitória na primeira semana, foram sete derrotas seguidas. A partir da semana 9, a virada veio: 7 vitórias nos últimos 8 jogos.

A temporada terminou 8-8 e os playoffs não vieram. Contudo, apesar do péssimo começo, Green Bay teve seu ataque entre os 10 melhores, em pontos feitos (7º) e em jardas (6º). A defesa foi a 10ª em pontos cedidos e 16ª em jardas.

4. 1968

Nesse ano, o time terminou a temporada com 6-7-1 e com o terceiro lugar na NFC Central. Dessas 7 derrotas, cinco foram por sete pontos, ou menos. Os 22 titulares eram os mesmos que conquistaram o tri-campeonato na NFL, sob o comando de Vince Lombardi.

Bart Starr teve o seu segundo melhor rating da carreira, 104,3 , comparado com a temporada de 1966, 105,0 , quando foi MVP. A defesa foi top 3 da NFL, pelo sétimo ano seguido. O time perdeu a divisão por um jogo e meio.

3. 1989

O Packers terminou com 10-6, empatado com o Minnesota Vikings, mas perdeu o título da divisão nos critérios de desempate. A temporada em si foi carregada de emoção: o time venceu quatro jogos por um ponto; e outros três por 2, 3 e 4 pontos.

O wide receiver Steerling Sharpe liderou a NFL com 90 recepções para 1.423 jardas, e nós também tínhamos o “Majik Man”. Esse era o apelido do quarterback Don Majkowsi, que ficou em segundo na votação para MVP. Perdeu para Joe Montana.

2. 1982

Essa foi a temporada da nossa única vitória em playoffs, nesse intervalo de 1968 até 1991. O time desse ano tinha muito poder de fogo, com Lynn Dickey como quarterback, James Lofton e John Jefferson como wide receivers, Paul Coffman como tight end, Eddie Lee Ivery como running back e Gerry Ellis como fullback. 

Lofton, Jefferson e Coffman foram selecionados para o Pro Bowl, junto do center Larry McCarren. Além do ataque, o Packers tinha uma defesa de respeito que terminou como a 8ª melhor da NFL, em jardas cedidas.

O Packers terminou com 5-3-1, foi campeão da NFC Central e, com isso, enfrentou o, então, Saint Louis Cardinals no wild card. Em um grande dia, Green Bay venceu por 41 a 16 e perdeu para o Dallas Cowboys no Divisional Round.

John Brockington, running back do Packers em 1972 (Foto: AP)
John Brockington, running back do Packers em 1972 (Foto: AP)

1. 1972

Campeão da NFC Central com um recorde de 10-4 e uma defesa como a 2ª melhor da liga, em jardas cedidas. Tendo os running backs John Brockington e MacArthur Lane combinando para 1.848 jardas; o cornerback Willie Buchanon como o novato defensivo do ano; e o kicker Chester Marcol como novato do ano. Essas eram as credenciais do Packers de 1972.

Depois da grande campanha na temporada regular, Green Bay perdeu para o Washington Redskins, por 16 a 3, nos playoffs. Nesse jogo, as limitações do quarterback Scott Hunter foram expostas e o técnico Dan Devine, não soube vencer o front defensivo do Redskins, com cinco homens. Apesar da derrota, foi a melhor temporada do Packers entre 1968 e 1991.

Fonte: Packers.com