Rookie do Cheeseheads Brasil, torcedor do Maior time da NFL desde os 11 anos. Fanático pela história desse tal time de Wisconsin que amamos. E Torcedor do Legítimo Campeão da Copa do Brasil de 94.

A Universidade de Washington tem revelado excelentes jogadores de secundária nos últimos anos. O Packers espera que Kevin King seja o próximo.

É inegável a qualidade do trabalho de Jimmy Lake. Desde que chegou em Seattle em 2014, para o cargo de co-coordenador defensivo e técnico da secundária dos Huskies, seis jogadores lapidados por Lake saíram da faculdade diretamente para a NFL. Apenas no último draft foram 3 defensores selecionados na segunda rodada, entre eles Kevin King, primeira escolha do Packers.

Com uma experiência prévia na NFL, quando foi técnico de secundária em Tampa e Detroit, Lake sabe o que é necessário para chegar na maior liga do mundo. Em seu trabalho anterior, na Universidade de Boise State, Lake treinou Jamar Taylor, que foi draftado em 2013 pelo Miami Dolphins, equipe que defendeu até 2015. Desde o começo de 2016, Taylor joga pelo Cleveland Browns.

Para nós cabeças de queijo, isso é muito excitante. Lake segue uma sequência que tornou Washington a Universidade da Secundária. Alguns nomes que saíram de lá: Desmond Trufant, Greg Ducre, Travell Dixon, Shaq Thompson, Marcus Peters, Budda Baker, Sidney Jones e o já citado King. Esses últimos três formaram a espinha dorsal do setor na última temporada dos Huskies.

Trufant foi escolhido para o Pro Bowl em 2015. Peter, escolha de primeira rodada no Draft de 2015, não fica atrás. Escolhido para o Pro-Bowl nas duas temporadas de sua carreira, também foi premiado com o título de Calouro Defensivo do Ano em 2015 e em apenas 2 temporadas, já acumula 14 interceptações. Com certeza o sucesso desses dois faz com que Lake sorria em seu escritório em Seattle. Seria Kevin King o herdeiro dessa linhagem?

Kevin King em sua interceptação mais famosa. (Foto de Otto Greuler Jr./Getty Images)

 Após o final da temporada do College, o principal prospecto defensivo de Washington era o cornerback Sidney Jones, cotado para sair na primeira rodada, mas, infelizmente, Jones rompeu o tendão de aquiles em março, o que fez com que o jogador, outrora comparado com Marcus Peters, caísse bastante no draft. Porém, muitos olheiros sabiam que o sucesso da secundária dos Huskies não provinha apenas de Jones, do outro lado do campo também havia alguém de muita qualidade.
Kevin King não possuí o mesmo biotipo que outros cornerbacks de Washington. Com 1,90 de altura, King é mais alto(Jones, Peters e Trufant coincidentemente possuem a mesma altura, 1,83), além disso, também é mais rápido, como seu tempo de 4.43 segundos no tiro de 40 jardas provaram. Além disso, King também é versátil, jogando de safety por várias vezes durante sua carreira universitária, na qual se destacou pela sua habilidade de pressionar os recebedores adversários. Devido à sua velocidade, o Packers espera que King não apenas pressione os recebedores, mas consiga se recuperar quando for batido no começo de sua carreira.

O talento bruto desenvolvido por Jimmy Lake está lá, agora cabe à Green Bay a tarefa de lapidar a pedra preciosa para extrair uma joia. Com o training camp se aproximando, a torcida terá uma chance melhor de avaliar o talento de King. Depois de tantos bons trabalhos, resta saber se daqui alguns anos, quando Jimmy Lake estiver trabalhando com novos talentos, ele se lembrará de King com um grande sorriso no rosto.

Fonte: https://www.acmepackingcompany.com/2017/7/5/15916602/packers-kevin-king-defensive-back-washington-huskies-tradition-nfl-pro-bowlers