Apaixonado por esportes, história e números, principalmente quando misturados com a magia e tradição de um dos principais times da NFL. Abordagens sobre o cotidiano do Green Bay Packers, assim como suas curiosidades e estatísticas. #GoPackGo

4-2… Green Bay entra na semana 7 da maneira que menos imaginava e queria. Não é apenas ter sofrido uma derrota na semana anterior ao rival de divisão, mais uma vez em Minnesota, ou ter perdido a liderança para o mesmo rival, mas por tudo ter acontecido em meio a lesão que pode ter comprometido a temporada de seu astro, Aaron Rodgers. Em tentativa de passe com Martellus Bennett que terminou em drop do #80, Rodgers sofreu hit tardio de Anthony Barr, o que lhe custou sua clavícula direita. Brett Hundley teve que terminar o jogo e pode ter que terminar a temporada, enquanto Rodgers se recupera de cirurgia realizada essa semana.

É inegável que o time sentiu a lesão de seu principal jogador e viu na última semana a lista de machucados, que já era expressiva, aumentar consideravelmente. 15 jogadores estavam listados no último Injury Report, dos quais 7 devem retornar aos jogos, por retomarem a rotina de treinos, 4 estão fora por lesões mais sérias, 3 estão questionáveis para o jogo e 1 com status duvidoso. Dentre quem poderemos ver jogando, encontram-se: David Bahktiari, Ty Montgomery, Bryan Bulaga e Nick Perry. Core Lisnsley, Lane Taylor e Damarious Randall são dúvidas para a partida.

O Packers que veremos hoje passará principalmente pela reconstrução mental-emocional do primeiro jogo sem o líder e de ter em Hundley a esperança do sonho dos offs, mas também terá na formação de seus jogadores a reconstrução física em um importante jogo contra o perigoso time dos Saints. A volta de jogadores que saíram machucados no último domingo será fundamental para criar condições de trabalho para Hundley, lhe dar opções de jogo e, principalmente, conter os ímpetos ofensivos de New Orleans. Green Bay entrará no Lambeau Field como zebra, mas o jogo ainda sim guarda uma série de possibilidades e se o time conseguir encaixar com uma boa performance, poderá sair com uma premiadíssima vitória antes da Bye Week na próxima semana.

Veremos o 25º jogo no duelo histórico entre os times, em que Green Bay leva a vantagem de ter vencido 16 jogos. No Lambeau Field, os Packers venceram 10 dos 12 jogos já realizados e não perdem desde setembro de 2006, quando Brett Favre ainda era o Quaterback do time. Para que se mantenha essa escrita, será fundamental que o plano de jogo montado por Mike McCarthy contemple matchups importantes contra o Pass Rush dos Saints, a efetividade do jogo terrestre contra a boa proteção de New Orleans e como parar o potente braço do Brees. Vamos conhecer alguns dos principais matchups da partida deste domingo:

 

1. Brett Hundley: a chave do jogo áereo de GB contra a defesa contra passes de NO
A banda Trummer SSA tem uma música que traduz exatamente o pensamento do cheesehead para com Brett Hundley:

Supere-se, criatura
Assuma o risco que existe em você
Devolva alguma loucura
Experimente não ter que se vender
Faça da sua armadura
A insustentável leveza do ser
Preste atenção, criatura, cuidar de tudo cuidará de você

Hundley entrou em um momento de provação. Se na intertemporada muito se especulou sobre seu futuro em Green Bay, se na pré-temporada vimos um pouco de Tysom Hill, possível 3º Quaterback do time e que hoje está em New Orleans, hoje ele possui a chance de se consolidar não apenas como o backup oficial, como já é, mas como o Quaterback do futuro de Green Bay. Chegou a hora de se superar e assumir o risco dos próximos 9 jogos e trabalhar para deixar os Packers em ótima situação de campeonato. Ele possui qualidade para isso, precisará trabalhar seu mental para enfrentar a longa e árdua batalha.

Supere-se, Hundley! Assuma o risco que existe em você… Chegou o momento para o #7. FONTE: NFL

Durante a semana, Mike McCarthy sinalizou que possui total confiança em Hundley como substituto de Rodgers e que montaria um plano de jogo específico para o #7. Hundley enfrentará a 7ª pior proteção em jardas aéreas (268,4/jogo) e a 12ª pior em pontos (23,2/jogo). Em tese, o desafio de passar pode ser mais fácil, tendo em vista o excelente time de recebedores dos Packers e uma instável defesa dos Saints, que vem buscando melhorar, mais ainda assim, não apresenta grandes números. Porém na prática, o que se verá não será tão fácil assim e por alguns fatores: novamente falamos do mental de Hundley para este jogo crucial, que precisar estar bom. No último domingo, Hundley lançou 3 interceptações e 1 touchdown, além de ter ganhos modestos de jardas (157) nas 19/33 tentativas completas de passe. Também é preciso levar em consideração a proteção que Hundley terá, algo que vem sendo um problema aos Packers na temporada. Contra Minnesota, foi a primeira partida da dupla titular de Tackles e ainda assim, a dinâmica do jogo não favoreceu que isto diminuisse a quantidade de sacks permitidos. Em Hundley, por exemplo, foram 4, e esta questão é importante para como o jogo pode se desenrolar. Sem proteção, Hundley estará mais apto a se livrar da bola e, sem o improviso de Rodgers, a possibilidade de um turnover será maior. A OL necessitará atenção contra Alex Okafor, Trey Hendrickson, Cam Jordan e Hau’oli Kikaha que combinaram 10/16 sacks anotados pelos Saints.

Resultado de imagem para cam jordan
Cam Jordan: o líder em sacks pelos Saints (5). FONTE: 103.7 THE GAME

Já quando passar, Hundley terá que observar bem as movimentações de jogadores como Kenny Vaccaro, Vonn Bell e, principalmente, Marshon Lattimore na prevenção das rotas dos recebedores de Green Bay. Não devemos esperar passes longuíssimos de Hundley, ainda assim, seus alvos receberão atenção especial. Algo que possa funcionar são as chamadas rápidas em scream, sobretudo com Davante Adams, que vem sendo um dos destaques ofensivos.

 

2. Jogo terrestre GB x Defesa Terrestre NO
É esperado que o jogo terrestre seja mais utilizado por Green Bay, com uma participação mais ativa de Ty Montgomery e a boa suplência de Aaron Jones. Mas será este setor um dos mais importantes no jogo. Os Saints são a 11ª melhor proteção terrestre (cedem 4,3 jardas/tentativa) e formam a 3ª menor cessão de touchdowns terrestres, 2, sendo apenas 1 anotado por Running Backs. Para um time, como Green Bay, que figura como o 7º pior ganho de jardas pelo chão (4 jardas/tentativa) e terá um sistema de jogo diferente em função do seu quaterback reserva, são questões preocupantes. Ty, Aaron e Ripkowski terão batalhas árduas contra a força de Cam Jordan e a polivalência de Lattimore, que também presta ótimos apoios na defesa pelo chão. Adicionalmente, será precisa muita atenção nas origens das corridas, com a formação de bloqueios, já que há a expectativa de New Orleans seguir o exemplo de Minnesota e aumentar a quantidade de blitz sobre o ataque de Green Bay. Se McCarthy possui o jogo corrido no seu plano de jogo é bom que ele preveja o que o coordenador defensivo dos Saints, Dennis Allen pode fazer.

Resultado de imagem para ty montgomery
Ty Montgomery pode ser a chave para o ataque dos Packers. FONTE: SPORTING NEWS

 

3. Drew Brees: o ataque de NO x Defesa contra passe GB
No geral, o Packers vem apresentando produções defensivas interessantes, com destaque a nomes como Blake Martinez, Jake Ryan, Clay Matthews, Nick Perry e Damarious Randall, que vêm se destacando na temporada. Porém, o jogo de hoje contra Drew Brees será um grande teste para o time, na tentativa de parar um Quaterback dono de uma capacidade gigantesca de big plays e com bons alvos como Michael Thomas, Ted Ginn, Brandon Coleman e Coby Fleener. A atenção de Green Bay ao início das jogadas será importante. O desafio de superar a OL dos Saints na origem será difícil e crucial, tanto é que Brees só foi sacado 4 vezes esse ano, algo que se comparado com os últimos anos é uma evolução considerável. Já na prevenção do ciclo final do passe, a secundária sob o comando de Kevin King e Ha Ha Clinton Dix precisará fazer um bom papel durante todo o jogo, algo que ainda não foi observado.

Adicionalmente aos 3 matchups explorados, igualmente será importante atenção para com a dupla de Running Backs dos Saints, Mark Ingram e Alvin Kamara, que combinaram para 442 jardas conquistadas em 92 corridas (4,8 jardas/tentativas) e são marcados pela velocidade que possuem e a facilidade de quebrar tackles para jogadas com grandes ganhos, Nesse ponto, o rookie Alvin Kamara, que chegou a ser cotado no Packers para o Draft deste ano, vem provando o que se esperava dele, com jogadas de impacto e uma média de carregada de 6,3 jardas, além de 1 touchdown. A defesa de Green Bay que contra o passe não vem apresentando os números que se esperava (5ª maior marca de touchdows cedidos e a 9ª pior cessão de jardas) terá trabalho extra nesta tarde.

Será um jogo totalmente diferente do planejado. A expectativa era de tiroteio, com muitas pontuações por ambas as equipes e até Green Bay era favorito. A falta de Rodgers trouxe dúvidas extras para o campo, fez com que o favoritismo trocasse de lado e até a dinâmica de jogo deve ser diferente, com os Saints sendo ainda mais agressivos que o projetado. Resta agora saber como os Packers se comportarão no week after da lesão de Rodgers e a qual ritmo o ataque caminhará sob Hundley. Citando novamente a banda Trumer SSA, o Lambeau Field estará Ardendo em Chances.