Apaixonado por esportes, história e números, principalmente quando misturados com a magia e tradição de um dos principais times da NFL. Abordagens sobre o cotidiano do Green Bay Packers, assim como suas curiosidades e estatísticas. #GoPackGo

2 semanas… Após a Bye Week na semana passada, os Packers voltarão a campo nesta segunda, em sua casa, para um duelo divisional que promete. O encontro com os Lions servirá para matar a saudade do torcedor cheesehead do seu time e para que Green Bay retorne à sua missão de se classificar aos playoffs. Na semana 7, Brett Hundley fez sua estreia como starter na NFL e em uma atuação mediana, não conseguiu reverter a derrota para os Saints no Lambeau Field. Aquele jogo reforçou uma das constantes do time que é ser inconstante nas partidas. Mais do que um jogo de palavras, há dois domingos, Green Bay teve um bom primeiro tempo contra New Orleans, indo ao intervalo com empate em 14-14, mas apagou no segundo tempo, cedendo 19 pontos e anotando apenas 1 Field Goal no último quarto. Hundley, por sua vez, manteve a predileção pelo jogo terrestre, acumulando apenas 87 jardas aéreas (12/25 passes completados) e sofreu com a quantidade de sacks que foram permitidos no segundo tempo, principalmente. Ainda sim, foi por seus pés que o Packers anotou 1 de seus 2 touchdowns no jogo.

Para esta segunda, os Packers terão grandes desafios no Lambeau Field em conseguir reacender o jogo aéreo sem Rodgers e conseguir superar lesões importantes para enfrentar o bom time de Detroit. Neste segundo ponto, algumas baixas importantes necessitarão ser consideradas, como Martellus Bennett (ombro), Ahmad Brooks (costas) e Quinten Dial (peito), que até este momento constam como Doubtful e não devem jogar. Por outro lado, há esperanças dos retornos de Damarious Randall na secundária e Lane Taylor na OL. Caso confirmados, serão importantes incrementos na proteção contra os passes de Stafford visando Golden Tate e Marvin Jones Jr e na formação de um bom corpo ofensivo para dar a estabilidade necessária para Hundley buscar explorar mais as jogadas de passe. Por sua vez, os Lions igualmente buscam se reconstruir na Liga, mas não por sofrerem importantes baixas, mas pelo recorde negativo de 3 derrotas seguidas. Será a 176ª partida entre as equipes, onde Green Bay leva a vantagem histórica com 100 triunfos contra 68 vitórias de Detroit e outros 7 empates. Para manter uma invencibilidade de 2 anos no Lambeau Field, alguns pontos devem ser considerados para uma boa performance dos Packers frente aos seus rivais:

1. Ataque aéreo GB x Defesa DET
Voltar a apostar no poderio do jogo aéreo. Os Packers mais do que nunca precisam reativar a conexão com seus recebedores e para isso Hundley precisará ter tranquilidade no pocket para fazer as leituras necessárias e achar seus alvos para boas jogadas. O substituto de Rodgers completou apenas 52,5% dos passes e sofreu 5 sacks. A constituição titular da Offensive Line e a química de ambos com um novo estilo de jogo do time serão os ingredientes para ajudar na reconstrução da força aérea do time. Adicionalmente, será necessário que Hundley tenha confiança e calma para realizar os lançamentos, sobretudo tendo em vista que os Lions são a 6ª melhor marca em cessão de touchdowns pelo ar, tendo um bom trabalho de prevenção e mitigação de conexões. Mas, por outro lado, os mesmos Lions são a 6ª pior cessão de jardas aéreas, o que traz esperanças aos Cheeseheads e motiva o renascimento do ataque pelo ar. Nos jogos que fez, Hundley ainda se mostrou um pouco afoito quando pressionado, o que ajuda com que suas chances de sucesso diminuam e números negativos como o de interceptações, já foram 4, cresçam. Nesta Bye Week ter treinado afundo o Play Book e conseguido estabelecer química com alvos importantes como Nelson e Adams igulamente poderá ajudar o Packers a potencializar seu ganho de jardas e chances de pontuação. Neste sentido de química e sentimento de mútua cooperação neste momento delicado dos Packers, Davante Adams, que vinha se destacando junto a Rodgers, veio a público durante a semana para reforçar que este tipo de trabalho está sendo feito com Hundley e de que sim, há confiança de que as coisas vão se arranjar com o Quaterback:

“Sigo tendo muita fé em Brett (…) Eu posso fazer coisas que ajudem Brett na partida. Falei com ele durante os jogos, os treios, imaginei como ele gosta de realizar os lançamentos e como ele planeja que eu desenvolva as rotas e me posicione para as recepções. São coisas desse tipo que farão com que ele avance e com isso, todo o time”

Resultado de imagem para brett hundley against saints
Confiança! Elemento fundamental para Hundley reviver o ataque aéreo dos Packers. FONTE: LOS ANGELES TIMES

Alguns dos nomes que serão necessários de atenção durante o jogo: G. Quin, M. Kilebrew e A. Robinson, os líderes de interceptações do time, T. Whitehead e T. Wilson, líderes em tackles, e E. Ansah, líder em sacks.

 

2. Matthew Stafford x Defesa GB
A 16ª defesa aérea da liga e 5ª menor cessão de touchdowns aéreos enfrentará o 12º Quaterback em ganho de jardas e o 13º em produção de touchdowns (12). Apesar dos números apontarem certo equilíbrio, será exigido da defesa dos Packers atenção máxima aos alvos de Stafford: Golden Tate, Marvin Jones Jr. e D. Fells combinam para 8 touchdowns, em 970 jardas e 80 recepções. A volta, caso aconteça, de Damarious Randall tende a ajudar Ha Ha Clinton Dix na velocidade pelos lados para conter as grandes ligações. Da mesma forma, Morgan Burnett retorna após 2 jogos distante e contribuirá para um ganho importante de experiência e qualidade no setor. O líder da secundária, nas palavras de Dom Capers e o coringa defensivo para McCarthy ajudará a dar flexibilidade aos jogadores e solucionar problemas de comunicação que possam ter acontecido. Além disso, a linha de raciocínio adotada em utilizar Burnett em várias posições no time pode voltar a ser usada, para um auxílio na cobertura de passes, como na prevenção, junto com Blake Martinez e Mike Daniels, ou na proteção às rotas de Abdullah e Riddick que possam ser chamadas por Stafford.

Resultado de imagem para MORGAN BURNETT 2017
Morgan Burnett: o coringa defensivo e reforço importante para os planos de McCarthy e Capers para a defesa. FONTE; LOMBARDI AVE

Ainda que o time defensivo dos Packers seja experiente e muitos, senão todos, já conheçam as opções de jogo de Stafford, há um dado importante que terá que ser combatido: nos dois jogos da última temporada, o Packers cedeu mais de 700 jardas aéreas aos Lions. Experiência não será tudo, se não for alinhada com força, agilidade e, sobretudo, atenção em todos os 60 minutos. Sabemos muito bem que vacilos contra Tate e Jones e um dos mais potentes braços da liga não serão perdoados.

 

3. O duelo nas trincheiras: proteger Hundley e atacar Stafford
Se há um local para se olhar no jogo será nas trincheiras da linha de scrimmage. Quando o Packers estver com a bola, haverá um duplo objetivo aos Packers em proteger Hundley, dando-lhe condições de jogo como falamos no item 1, e garantir que o time possa desenvolver as jogadas pelo chão, com Aaron Jones e Ty Montgomery se revezando. Para isso, a Offensive Line precisará vencer os confrontos contra Anthony Zettel, A. Robinson J. Ledbetter e E. Ansiah. A força de Bulaga e Bahktiari e o retorno de Taylor deverão suplementar os esforços da linha defensiva que menos registrou tackles combinados (421) e menos sacou (13), apesar dos bons quadros que possui. Se a OL conseguir impor um bom ritmo de jogo, com o vigor e qualidade já conhecidos, os Packers poderão ter motivos de visualizar um bom caminho para vitória.

Para o lado inverso, quando os Lions estiverem com a bola, os Packers precisaram abusar de uma boa condição cedida pelos rivais: os sacks em Stafford. O Quaterback de Detroit foi sacado 25 vezes na temporada, a 4ª marca da liga. Contar com as boas produções de Nick Perry e Clay Mathews no quesito, e de Blake Martinez e Ha Ha Clinton DIx nos tackles, além da crescente de Jake Ryan, podem ser importantes chaves defensivas. Vale lembrar ainda um ponto: TJ Lang, nosso ex- Tackle está do outro lado e sabe como costumamos trabalhar. Da mesma forma o conhecemos. Será um curioso duelo em seu retorno ao Lambeau Field, casa em que um dia ele disse querer se aposentar.

Resultado de imagem para BLAKE MARTINEZ PACKERS 2017
O destaque defensivo dos Packers em 2017; Blake Martinez. FONTE: USA TODAY

 

O jogo desta segunda vale muito. Dois times querendo a vitória a qualquer preço para seguir respirando em uma imprevisível NFC Norte. Os Packers ainda possuem a vantagem de uma campanha positiva e em caso de vitória poderão entrar na zona de Wild Card, com a seed número 6 e encurtar a distância aos Vikings. Os Lions, por sua vez, buscarão a vitória para a vice-liderança da divisão, 2,5 jogos atrás dos Vikings. Como diz a música do Monday Night Football: Are you ready for some football, a Monday Night party? Tomara que seja uma festa, de fato.