Edmar acompanha o Packers desde o século passado e é interessado por tudo que envolve essa franquia quase centenária. Fã assumido de Ted Thompson, tenta provar que não é apenas mais um lover…

TT Lovers & TT Haters! Para a alegria de muitos alguns e tristeza de poucos geral estou de volta! Primeiramente desculpem pelo período de ausência, estive surpreendentemente ocupado nos últimos meses e acabei não dando a atenção necessária aos jogos.

Para quem não conhece o quadro, este é o “Primeiras Impressões” onde eu anoto as minhas observações durante o jogo e escrevo para vocês em primeira mão. O resultado é uma análise extremamente crua das coisas que vão acontecendo durante o jogo, com direito a grandes contradições (graças a nossa querida e infalível Lei de Murphy) e uma pequena dose de acertos.

O jogo foi feio? Foi. Foi mais apertado que deveria? Sim. Com o Rodgers em campo, seria uma lavada? Com certeza. Mas não vamos ficar aqui lamentando pelo provolone que caiu no chão. Afinal muitas vezes o que vale é a vitória, e esse time precisa “acumular sucesso” ao se quisermos ter alguma chance neste final de ano. Sem mais delongas, aqui vão as primeiras impressões de Green Bay Packers 26 x 20 Tampa Bay Buccaneers:

  • Baby Face Winston volta a jogar justo hoje, para quê facilitar né Deuses da Bola Oval?;
  • Greg Jennings comentando: TV no Mudo;
  • Belíssima jogada do Quinton Dial no primeiro drive impedindo o scramble do Winston, pena que não impediu o avanço do ataque. Uma oportunidade deixada em campo;
  • A Diferença de como a defesa joga contra a corrida e contra o passe é gigantesca. O ataque corrido de Tampa Bay não é nada demais, mas tanto a secundária quanto o front seven parecem muito mais dispostos quando a bola está no chão, não entendo o motivo;
  • Falando em secundária, HaHa Clinton Dix está tendo um ano completamente abaixo da crítica, mais um touchdown em opening drive e esse inteiramente na conta do #21. Não tinha nenhum motivo para ele ir para a lateral, nem o DeSean Jackson nem o Adam Humpries seguiram para o fundo e isso deixou o Whitehead sozinho com o tight end;
  • Dói demais ver o único bom retorno de Green Bay no ano anulado por uma falta tão besta quanto essa do Biegel. Pequenos erros individuais fazendo o jogo começar mais difícil que deveria;
  • É ótimo ver o Hundley lançando essas bolas rápidas pelo meio, não apenas pelo sucesso que elas têm, mas principalmente por serem bolas de altíssimo risco. O quarterback precisa estar realmente confortável no ataque para lançar essas bolas constantemente;
  • Sobre a mesma jogada, esse primeiro 3rd down do Hundley para o Jordy Nelson foi uma coisa linda de se ver, boa cobertura do cornerback e o linebacker estava logo atrás na jogada, a segunda conversão para o Davante Adams não ficou muito atrás, bom começo;
  • Que pecado esse quase touchdown para o Geronimo Allison, se o Hundley tivesse testado mais passes longos durante o primeiro drive ele estaria com a mão mais calibrada e o jogo estaria empatado, a bola acabou saindo baixa e sem ângulo;
  • Quem me conhece sabe que eu prefiro muito mais o Morgan Burnett ao HaHa Clinton-Dix na secundária. Por que? Momentos como esse em que a inteligência e visão de jogo do Burnett compensam a “falta” de atletismo. Quase uma interceptação “raiz” atravessando a linha de passe;
  • O McCarthy deve estar querendo arrancar os dentes do siso na mão com esse começo de jogo, justo ele que prega pelo “clean game”, ou seja, fundamentos e execução impecáveis. Mais uma vez uma falta besta atrasando a evolução no drive;
  • Se metade dessas faltas não tivessem sido declinadas, já teríamos passado das 100 jardas cedidas por falta no jogo, fácil;
  • Jake Ryan e Blake Martinez são a melhor dupla de linebackers que os Packers tiveram desde… sei lá quando. Sem querer exagerar, eles ainda não são espetaculares individualmente, mas se complementam de forma perfeita;
  • O time está bem em campo, ataque movendo a bola, defesa fazendo o suficiente na secundária e o front seven ganhando os one on one’s. Se o time limpar essas faltas e parar de largar oportunidades no campo, o jogo deve ser tranquilo para o nosso lado;
  • Ouch! Só pra me contrariar, que interceptação feia do Hundley… “Jay Cutler-Style”
  • O que seria dessa secundária sem Davon House… não sei, acerto do TT em trazer ele de volta;
  • E agora House está no chão, parece que iremos descobrir o que será da secundária sem ele;
  • Ahhhhh!!!! Quantas oportunidades perdidas nesse jogo! Bola na trave não altera o placar galera! Vamos capitalizar nos lances! Josh Hawkings deixa mais uma interceptação no campo;
  • Isso! Bloquear um punt é uma excelente forma de começar a capitalizar;
  • Quando o Jamaal Williams veio pra GB o que mais me impressionou nele foi o stiff arm, disse à época que ele “dava porrada no tackleador”, essa corrida depois do punt bloqueado é exatamente o que eu gosto nele, tapa na cara de defensive back;
  • Momentum é tudo; Block Punt, Corrida de 25 jardas do Jamaal e Scramble do Hundley, três jogadas depois 10-7 na força e na vontade;
  • Hora de começar a misturar o Aaron Jones no jogo e cavalgar para 300 jardas corridas no dia. Front seven dos Bucs tá uma peneira;
  • Mentira, o front seven dos Bucs não está mal, a nossa linha ofensiva só tá bem melhor no quesito corrida;
  • Alguns ajustes de defesa que eu não entendo. Jameis Winston move o running back #34 para a lateral do campo, Damarious Randall segue a sua zona e vai marcar o running back deixando o Blake Martinez contra o DeSean Jackson, alguma dúvida que a bola iria ali?;
  • O problema não é a zona em si, mas o reconhecimento da jogada e o ajuste à cada situação. Essa crítica à defesa do Capers é muito válida, falta o toque “humano” à coisa toda, os jogadores as vezes parecem robôs em campo e detalhes óbvios acabam passando desapercebidos;
  • Momento é tudo. Alguém reparou que o Dean Lowry corre mais rápido que o Richard Rodgers? #justsaying
  • Aliás, hilária a tentativa dele em fazer um Lambeau Leap, pelo menos isso o Rodgers faz melhor que ele #justsaying2
  • Pelo amor de Deus! Parem com as faltas! Parece que o jogo já está fácil demais e os jogadores querem dar uma chance pros Bucs entrarem no jogo;
  • Mais uma vez a inteligência do Burnett se sobressaindo, pena que ninguém foi na dele para ajudar a parar o screen, aliás única forma dos Bucs moverem a bola é através desses screens hoje. Ache uma forma de parar os screens e ganhe o jogo Mr. Capers;
  • 4 sacks no Winston no primeiro tempo, somente um não foi “cover sack”, muito mérito da secundária em dar tempo paro rush chegar;
  • Trevor Davis retornou uma bola! Tinha até esquecido que podíamos retornar punts e kickoffs;
  • Uma pena o time não conseguir engrenar um bom momento no outro, bom retorno do Davis, mas aí uma sequência ruim do ataque com alguns escorregões e a bola está de volta nas mãos do Winston, se o ataque tivesse pontuado com pelo menos um field goal no retorno do segundo tempo, o ritmo do jogo até o final poderia ser outro;
  • Packers não está muito melhor que os Bucs no jogo, mas um pêndulo está ao nosso favor, Green Bay domina a linha de scrimmage, no ataque e na defesa;
  • #DOMINANCE! Dean Lowry tendo o jogo da vida e contabiliza seu segundo sack na temporada. Mas sendo justo, não consigo falar um jogador do front seven tendo um dia notavelmente ruim hoje. Daniels (sem surpresas aqui), Matthews, Ryan, Fackrell, Brooks, Clark, Martinez e quem mais entrar nessa festa merece um high five no vestiário;
  • Hora do ataque jogar uma pá de cal nesse time dos Bucs;
  • #SQN, bola de volta para os Bucs depois de um 3 & Out, e eu vendo aquele começo promissor indo por água abaixo;
  • Belo punt do Vogel que somado a falta jogam as esperanças dos Bucs em pegar uma boa posição de campo pelo ralo. Uma pena que os Packers não conseguem acumular sucesso, se não esse jogo já estaria acabado a muito tempo;
  • Segundo screen que o Jake Ryan segura sozinho, se não é pela habilidade de um jogador nas jogadas de screen os Bucs estariam em uma situação bem mais confortável no jogo;
  • Defesa passando muito tempo no campo, se não me engano o ataque dos Bucs está com 28 minutos de posse de bola no momento, 2:19 no terceiro quarto e são nítidos os sinais de cansaço;
  • E eis que o jogo corrido dos Bucs engrena, coincidência? Óbvio que não, ataque precisa ficar mais tempo em campo;
  • De fato, os Bucs são um time pior no geral. Patético esse drive que começou na linha de 3 e terminou em um field goal. BASTA O ATAQUE FICAR NO CAMPO agora, é tudo o que eu peço: converta first downs, fique no campo e gaste relógio. Uns pontinhos não cairiam mal, mas o principal é deixar a defesa descansar. Randall acabou de sair, Clark não sabe se volta… a defesa não pode ser exposta por muito tempo;
  • É claro que ataque não consegue gastar um nem minuto de relógio, 3 & Out de novo… jogo vai ser mais apertado que deveria. Se não me engano esse já é o terceiro 3 & Out consecutivo do ataque;
  • 2nd & 14 com 11 minutos para ir no último quarto: Denovo o Winston joga o running back para a lateral, deixando o Joe Thomas contra um wide reciever, dessa vez Clinton-Dix reconhece o erro, faz o Thomas trocar de posição com o Hawkins e o resultado… não muda, first down Bucs;
  • Bucs volta a liderar o jogo, muito frustrante ver um jogo escapar por que o ataque não conseguiu capitalizar nenhuma oportunidade no segundo tempo;
  • Ataque acorda tarde, mas finalmente acorda. Porém aqui vem o problema. Bucs tem 2 minutos, 3 time outs e uma defesa cansada pra desempatar o jogo…;
  • Menos 10 jardas no ataque, uma falta, um sack e uma 3rd & 20 com 1 minuto pra jogar, será?;
  • Bucs desiste do drive, corre com a bola e vai tentar a sorte com a defesa;
  • Hundley vai ter de encarar a sua grande dificuldade no jogo: acumular sucesso. A defesa fez o improvável e entregou o jogo nas mãos dele na linha de 38 com 45 segundos, um tempo e precisando somente de 30-40 jardas para um field goal tranquilo. Vamos ver no que vai dar;
  • Em nada, ataque pífio hoje novamente, difícil entender por que esse ataque joga tão mal em casa. Ainda bem que os próximos dois jogos são fora de casa;
  • Chance de redenção! Packers ganha o cara ou coroa, um touchdown acaba o jogo;
  • É assim que se joga um jogo como esse! Se a sua linha ofensiva está dominando o jogo, você tem um quarterback com dificuldades para passar a bola, a solução é rodar seus running backs e correr! Não entendo o McCarthy não ter utilizado mais o Aaron Jones no jogo, mas antes tarde do que nunca!
  • Packers vence 26×20, sofrido, feio e desnecessariamente difícil. Mas é Dezembro, e o time começa com uma vitória no final da temporada!