Edmar acompanha o Packers desde o século passado e é interessado por tudo que envolve essa franquia quase centenária. Fã assumido de Ted Thompson, tenta provar que não é apenas mais um lover...

Bom dia TT Lovers e TT Haters! Quem não acompanhou, perdeu a live no Youtube ontem. Foi sensacional! Foram 4 horas de transmissão de muitas cornetadas, risadas e discussões. Previmos e quase estouramos uma “champagne” para celebrar a troca horrenda dos Bears; acertamos em cheio no possível “trade down” em troca de selecionar o TJ Watt e erramos feio em muitos outros nomes. Mas, se você perdeu, não é o fim do mundo. O link da transmissão de ontem está aqui e hoje tem de novo, a partir das 20:00.

Tivemos mais uma noite interessante de primeira rodada, com muitas trocas de times desesperados por quarterbacks no começo e outras bem interessantes no final (incluindo a nossa). Infelizmente não há tempo disponível para escrever um texto completo, então vou colocar uma compilação de algumas informações e opiniões pontuais, aqui vai:

Trocas por quarterbacks

O Chiacago Bears fez uma grande troca para selecionar Trubisky

Nenhuma das trocas foi realmente boa, pois nenhum dos quarterbacks desse draft vale a pena de verdade. A única que merece uma consideração positiva foi a que os Chiefs fizeram para pegar o Pat Mahomes. Se tem um lugar onde ele pode ter sucesso, é sob a tutela de Andy Reed. Reed trabalhou como treinador de quarterbacks no auge da carreira de Brett Favre, em 1997 e 1998. Então, ele sabe lidar com um lançador “rebelde” como ninguém. A outra troca foi a do Houston Texans que trocou, sua primeira escolha desse ano e a de 2018, para pegar DeShaun Watson. Tudo isso veio duas picks depois do Chiefs subir para pegar Pat Mahomes. Fico imaginando o desespero do pessoal de Cleveland, depois da “troca surpresa” do Chiefs.

Recebedores saindo cedo

Em uma classe com poucas opções de wide receivers de qualidade, não é tão assustador ver os 3 melhores do draft saírem no Top 10 (John Ross saiu para o Bengals na 9ª escolha). Com a exceção do Williams que teve sua lesão no pescoço em 2015, mas voltou com tudo em 2016 com 80 recepções para 1,171 jardas e 10 touchdowns, melhor forma de colocar uma pá de cal no assunto lesão.

Linebackers

Eu tinha apostado que TJ Watt e Reuben Foster cairiam até a nossa escolha, e fui além dizendo que eles cairiam para fora da primeira rodada. Quase acertei em cheio. Não fosse pela troca do 49ers no final da primeira rodada, Foster teria ido dormir sem saber sua nova casa. Pessoalmente, acho o Foster um búfalo, muito músculo e poucos “instintos”. O time que quiser que ele seja o líder do grupo de linebackers está cometendo um erro na minha opinião. Quem colocá-lo para jogar ao lado de jogadores que tenham mais visão de jogo, terá um futuro muito feliz.

Haason Reddick era meu linebacker favorito antes do draft e aparentemente é a mesma opinião do Cardinals. Eu adorei essa escolha! Estava torcendo para o Reddick cair mais um pouco e o Ted Thompson pudesse subir para pega-lo, mas não foi possível. Reddick é um foguete em campo e tem um talento indescritível para ir atrás do quarterback. James Bettcher (coordenador defensivo do Cardinals) é um cara muito criativo e, como ex-técnico de linebackers, sabe muito bem como tirar o melhor proveito dos seus jogadores no meio do campo.

A escolha de Jarrad Davis pelo Lions, foi boa também. Porém, suspeito que eles poderiam ter feito uma troca e tê-lo pego depois. Acredito que Davis tenha mais capacidade de ser “o cara” do grupo de linebackers que o Foster, apesar de ser menos físico. Acho ele um jogador bem completo que precisa de pouco para ser um titular na NFL. Com a perda de DeAndre Levy, o Lions acha um substituto imediato, sem o histórico de lesões de Reuben Foster.

Safeties e Running Backs

Poucas surpresas aqui, a não ser a queda de Malik Hooker. Hooker era considerado o melhor safety do draft, ao lado de Jamal Adams. Contudo, viu seu rival ser escolhido bem cedo, enquanto ele teve que esperar até a 15ª escolha para sair. Muito provavelmente (mais uma vez) graças a um histórico de lesões e ter apenas um ano de experiência como titular. Parabéns ao Colts que pegou um baita valor com essa escolha. Ninguém esperava por essa.

Quanto aos running backs, eu esperava que alguém puxasse o gatilho em Dalvin Cook. Acredito que ele possa ser um grande running back na NFL, se for bem treinado e resolver seus problemas com fumbles. Um bom treinador de running backs é tudo que ele precisa (cof! cof! Ben Sirmans). Seus problemas extracampo também influenciaram a sua queda e, talvez… talvez… fique disponível até o final da segunda rodada. Quem sabe?

Linha Defensiva

Outros times que estão de parabéns são o Philadelphia Eagles e o Washington Redskins. Aguardaram sua vez e escolheram os dois melhores linhas defensivas disponíveis. A escolha do Eagles foi claramente uma preferência pessoal de alguém lá dentro, pois passar por Jonathan Allen na 14ª escolha não é tarefa fácil. Allen acabou saindo para o rival de divisão, três escolhas depois. Ambos os times fizeram seu “dever de casa” e saíram com dois excelentes jogadores.

Pass Rushers

Charles Harris é um excelente “projeto” para transição a-la Nick Perry e o Dolphins tem grandes chances de formar um grande jogador. Tudo isso depende de tempo e treinamento de qualidade, coisas que tem andado um pouco escassas em Miami. Por isso, acredito que seja uma escolha arriscada que tem chances iguais de dar certo ou errado.

Menos arriscado foi a escolha do Cowboys que pegou Taco Charlton. Charlton, que levantou algumas suspeitas de “corpo mole”, pode estar indo para o melhor lugar possível. Não vejo tarefa mais motivacional que jogar em um dos times mais midiáticos de toda a NFL. Takk McKinley saiu para o Falcons que fez uma baita troca por ele. O pass rush de Atlanta já era ótimo e, com a adição de McKinley, tem tudo para ficar sensacional! David Bakhtiari e Brian Bulaga vão fazer valer cada centavo gasto com eles nos próximos anos.

Green Bay Packers

Eu sei que existe uma legião de fãs revoltados com a “perda” de TJ Watt e de Reuben Foster, pela troca feita com o Browns. Vou opinar por partes. Primeiro o mais fácil: graças a Deus que o Foster foi escolhido pelo 49ers, logo depois da nossa troca. Se ele tivesse sobrado até a nossa primeira escolha de hoje, ele seria o “melhor jogador disponível” sem dúvida e Ted Thompson ficaria tentado em pegá-lo.

TJ Watt foi selecionado pelo Steelers

Vou ser direto e sem muitas delongas:

  1. não acho que inside linebacker seja uma posição de valor na nossa defesa;
  2. acho que existem necessidades maiores, como pass rusher, defensive back e até defensive lineman;
  3. não acho que o Foster seja realmente um fator de diferença para uma defesa, como muitos falam. Questão de opinião mesmo, o tempo vai dizer. Fiquei triste como todos pela oportunidade perdida de escolher TJ Watt, acho que ele poderia ser muito útil mesmo em 2-3 anos.

Porém, não acho o fim do mundo. Ainda existem ótimos pass rushers disponíveis. Sem contar que temos de observar um detalhe: Thompson tinha a faca e o queijo na mão para pegar o TJ Watt. Não pegou porque não queria. Pessoalmente, acredito que ele esteja de olho em alguém mais “pronto” para assumir a rotação ainda nesse ano. Guardadas as devidas proporções, TJ Watt é um Kyler Fackrell mais novo. Ambos precisam de um bom ano de estudo e academia até estarem prontos para aguentar o ritmo exigido de pass rushers na NFL.

O que esperar daqui para frente

Ficou muito difícil de opinar depois da nossa troca e da queda de vários cornerbacks. Acho que pouca gente esperava que tantos cornerbacks de talento caíssem fora da primeira rodada. Esse cenário é fantástico para o Packers que, na minha opinião, não só precisa de um titular que possa fazer a diferença, mas também precisa de quantidade para a rotação. Micah Hyde não tinha nada de sensacional, mas era um “corpo” a mais no meio da defesa e, ao contrário da piada, um cone não resolveria o problema, longe disso.

Com a queda de cornerbacks como Kevin King, Chidobe Awuzie, Fabian Moreau e o safety Obi Melifonwu; nomes de “terceiro escalão” como Quincy Wilson, Cordrea Tankersley, Teez Tabor, Cameron Sutton e Ahkello Whiterspoon devem cair ainda mais. A chance de Ted Thompson fazer uma dobradinha de talento na secundária nunca foi tão grande. Já estive errado antes (principalmente com os ofensive lineman de ontem), mas mantenho minhas convicções e ainda acho que teremos um defensive limeman surpresa hoje. Também acredito que podemos nos preparar para mais uma troca.

A última vez que Ted “saiu” da primeira rodada foi no ano de 2008. Aquele draft nos trouxe Jordy Nelson, Jermichael Finley, Josh Sitton e Matt Flynn. Além disso, Thompson aproveitou a “munição” extra acumulada para subir novamente no draft do ano seguinte e pegar ninguém menos que Clay Matthews. Acredito que todos lembramos do resultado dessa equação de trocas em 2010. Ou seja, se a história indica alguma tendência, ela é altamente positiva. “Trader Ted” parece estar de volta e, quando a velha raposa “sai da toca”, coisas boas acontecem.