Defesa…Essa foi a tônica das últimas 5 primeiras escolhas de Draft do Packers e possui grandes chances de se repetir em 2017. Sabendo-se das dificuldades que o time enfrentou na secundária e pass-rush, muitos são os nomes especulados para o time de Wisconsin. Um deles é o do Linebacker T.J. Watt, que jogou pelos Badgers no College Football, e possui em sua família um pouco da experiência do que é respirar a NFL 24/7: irmão de J.J. Watt, Defensive End do Houston Texans e Derek Watt, Fullback do atual Los Angeles Chargers.

T.J.Watt pelos Badgers. Fonte: Wisconsin Athletics

O terceiro irmão Watt decidiu que estava na hora de se tornar elegível ao Draft após uma excelente temporada no College, mas se engana quem pensa que sua caminhada foi fácil. Em suas duas primeiras temporadas jogando pelos Badgers, Watt sofreu com duas lesões: no joelho direito, que o tirou de toda temporada de 2014, e uma lesão de ligamento no joelho esquerdo durante oSpring Practice em 2015. Watt passou por uma cirurgia e conseguiu retornar ao time no mesmo ano, onde atuou como Linebacker reserva em todos os 13 jogos dos Badgers na temporada. Finalmente saudável em 2016, Watt conseguiu a titulariedade e se destacou: 63 tackles (15,5 para perda de jardas) e 11,5 sacks. Com tais números e grandes atuações, T.J. Watt foi nomeado ao second-team Associated Press All-American e first-team All-Big Team e chega em 2017 como um dos principais prospectos, merecendo uma análise do que podemos encontrar a partir de setembro na NFL:

PONTOS FORTES:  Em uma única temporada full de futebol americano, conseguiu produzir em alto nível como nenhum outro. Possui boa envergadura e mecânica de movimentação, permitindo ser feroz e assertivo nos trabalhos de bloqueio de passes e corridas. É dinâmico e disruptivo, sempre pronto para antever rotas e estar presente antes dos recebedores capturarem os lançamentos dos quaterbacks. Rápido em separações para dar tackles “por fora”, possui excelente agilidade com os pés e é funcional, quando solicitado, na cobertura de jogadas de passe. Tem infiltração na linha defensiva adversária muito efetiva. Consistente nos tackles.

PONTOS FRACOS: Apesar dos pontos positivos, sabemos que a realidade de jogo na NFL é diferente. Assim, além da vivência necessária para sobreviver e se destacar na liga, ainda precisa aprimorar os trabalhos de pés e a capacidade de aumentar a aceleração em suas corridas, vencendo seus oponentes e sendo ainda mais efetivo no pass rush. Também necessita ter mais força para vencer tackles.

PREVISÃO DE ESCOLHA: 2ª rodada

O QUE DIZEM DELE?: Scouts apontam-no como promissor na NFL. Já mostrou o seu talento na NCAA, mas pode ser ainda melhor. Se adaptaria mais rápido às defesas 4-3, mas precisa se tornar ainda mais forte e rápido, tal qual como exigido em cada jogo da temporada regular e pós-temporada.

RESUMINDO:  Um pass-rusher comparado a Paul Kruger, campeão do SuperBowl XLVII com o Baltimore Ravens, quanto a habilidade de prevenir seu time de ataques adversários (dono de 221 tackles totais em 7 temporadas, além de 2 interceptações, 8 fumbles forçados e 6 recuperados). Watt será o sinômino de um jogador incansável e que não cederá território tão facilmente. Já tivemos um aperitivo dele no College e sabendo que ele terá um grande tutor fora dos campos, JJ Watt, é certeza de mais um grande defensor surgir na NFL. Sorte de quem escolhê-lo. Por que não você, Packers?