Começou a gostar do Packers ao jogar Tecmo Super Bowl, no SNES, em 95. Logo depois, viu Green Bay ser campeão no Super Bowl XXXI e, desde então, é um cabeça-de-queijo.

Glauber

Fim de pré-temporada e é hora de comprovar as expectativas criadas. Nosso time já começa com um baita teste: Seattle Seahawks. Fiquemos atentos com nossa secundária, os linebackers e nossa linha ofensiva. Seattle tem armas suficientes para causar estrago nesses 3 setores. Que nosso ataque seja dinâmico, sabendo variar bem as jogadas e confundir a defesa de Seattle com as corridas de Montgomery. Junto a isso, que nosso comedor de donuts utilize bem nosso fullback, Ripkowski.

Placar: SEA 17@28 GB

Bruno Gobbi

Ano novo, vida nova. jogadores novos, um novo Ted Thompson parece assumir o Packers. Um que se arrisca mais, dando certo ou não, já temos um desafio bem grande logo de cara que vai botar a prova o “novo” time do Packers. Acredito que ao contrário de anos anteriores, começaremos fortes e teremos uma vitória convincente. Destaque para a linha defensiva e para Aaron Rodgers.

Placar: Packers 28×14 Seahawks

Behs

Jogo duro. Não acredito que o Packers terá a mesma facilidade dos últimos dois confrontos no Lambeau. Mesmo assim, acredito em uma vitória com um field goal de Crosby no final do jogo.

Placar: Packers 20×17 Seattle

Edmar Netto

Os ataques têm dificuldade de mover a bola, mas, aproveitando turnovers, o Packers consegue pular na frente no placar no primeiro tempo: 14×3. O segundo tempo começa com troca de touchdowns. Entretanto, Seattle encosta no placar com 21×17. Aaron Rodgers consegue engatar drives longos para queimar o relógio e selar o jogo. Seattle tem dificuldade em mover a bola de forma rápida e apesar de ter algumas big plays esporádicas, o jogo aéreo não tem a mesma eficiência do jogo corrido. O turnover no começo do jogo e a eficiência do ataque em capitalizar os touchdowns decidem a partida a favor de Green Bay.

Placar: Packers 28 x 24

Kadu Pedroni

Em um jogo complicado, nosso ataque consegue dar o ritmo e encurralar a defesa do Seahawks com bons passes e movimentação do Rodgers. Isso acabará abrindo espaços para o Ty e o Jaamal correrem bem. Na defesa, conseguiremos manter o Wilson no pocket e segurar grande parte do jogo terrestre. Desta forma, forçando-o a jogar só no braço. O que não é o seu forte!

Placar: Packers 30×21 Seahawks

Victor Hugo Rhem

O ataque terrestre do Packers será colocado em cheque, contra uma defesa com uma ótima linha defensiva. A mesma que já causou problema para o time e que, dessa vez, possui como reforço o mestre contra a corrida: Sheldon Richardson. Além disso, com a volta de Earl Thomas, a Legion of Boom está inteira novamente. O ataque do Packers terá um grande desafio, porém a vitória não é impossível. Quanto a nossa defesa, precisamos de um bom jogo da secundária e será interessante assistir ao espetáculo do novo front seven do Packers. Com segundo anistas promissores em Dean Lowry e Kenny Clark, sem contar o ilustre Mike Daniels, o time ainda conta com reforço dos free agents Quinton Dial e Ricky Jean-François. No corpo de linebackers, será interessante ver a estreia do veterano Ahmad Brooks e o rookie recém-contratado Chris Odom. Assim como a consolidação do corpo principal de inside linebackers com Jake Ryan e Blake Martinez. Fiquem de olho em Kyler Fackrell, que teve uma péssima pré-temporada e pode ser uma surpresa.

Placar: Packers 27×23 Seahawks

Marcus Rovere

Depois de meio ano esperando, finalmente veremos o Packers em uma partida oficial. A estreia não poderia ser mais complicada: receber o Seahawks no Lambeau Field é um grande teste para o que esse time pode produzir. Com um dos ataques mais imponentes da atualidade, acredito que Green Bay vá fazer valer o mando de campo e vencerá o Seattle.

Packers 31×17 Seahawks