Começou a gostar do Packers ao jogar Tecmo Super Bowl, no SNES, em 95. Logo depois, viu Green Bay ser campeão no Super Bowl XXXI e, desde então, é um cabeça-de-queijo.

Alguns colaboradores do Cheeseheads Brasil opinam sobre o que esperam do jogo, no Divisional Round, contra o Dallas Cowboys.


Behs – Não vai ser fácil. Na verdade, nunca é. Na semana em que o Packers viaja até Dallas, para enfrentar o melhor time da temporada regular da NFL, o sonho do Super Bowl continua vivo. Dallas não só tem a melhor linha ofensiva da liga, como também tem várias armas ofensivas de muita qualidade. Dez Bryant, Elliot, Witten, Beasley e o surpreendente Dak Prescott. Na defesa, eles contam com a volta do ótimo corner Clairbone e seu melhor pass rusher, Demarcus Lawrence. Já o Packers tem Aaron Rodgers e um ataque pegando fogo ,desde a famosa citação #RunTheTable . A defesa, nos últimos jogos, teve uma melhora que nos faz acreditar na possibilidade de algo maior. Tudo vai depender de como começamos o jogo. Não dá pra começar na primeira marcha no ataque e achar que a defesa vai segurar como fez com o Giants. Precisamos de um jogo perfeito e confio que podemos conseguir isso. Por isso acredito em uma vitória histórica. Packers 30 x 27 Dallas

Bruno Gobbi – Após uma recuperação fenomenal, o paciente continua demonstrando uma vontade que há muito tempo não se via. E o mais impressionante é a resiliência que demonstra, onde nos momentos mais adversos, consegue se superar, mesmo com a perda de peças importantes. Em um jogo onde enfrentou uma muralha, mesmo com a perda do seu melhor recebedor, o Packers contou com a ressurreição de seu camisa #18 e a mão quente do #12 (que mais uma vez, completou uma jogada que já virou sua marca registrada), para vencer e convencer na partida. Sendo assim, a vida continua nos playoffs e enfretaremos, talvez, o maior desafio até agora: um rival histórico de playoffs, que já terminou algumas temporadas nossas e possui um ataque poderosíssimo. Accho que nosso ataque vai ter que estar em mais um dia inspirado, para combater a força do adversário, já que nao consigo ver nossa defesa segurando o necessário. Acredito em um shootout, onde cada um, com a força do seu ataque, irá mostrar a que veio e que é playoff football. Contudo, acho que a maior experiência do Packers e a maior vontade fará a diferença a nosso favor. Afinal, esse ano, como disse Randall Cobb, “Significa muito mais para nós, do que para eles”. Nossa história não acaba aqui! #RunTheTable Packers 35×31 Cowboys

Rovere – Se o Packers tem uma vantagem sobre o Cowboys é o momento do time. Ok, tem Aaron Rodgers também e isso é uma vantagem sobre qualquer time da NFL, mas o momento do Packers é uma vantagem e tanto para esse confronto. Jogando em clima de playoffs desde a semana 11, o time mostrou muita resiliência e competência para buscar os resultados, quando um setor entra em colapso, o outro compensa. Diante do Giants, tivemos momentos distintos, mas a principal força do time apareceu na reta final do 2º quarto. Quando o ataque do Packers encaixa, nenhum time é páreo para Rodgers e seus companheiros. Esqueçam o jogo da temporada regular na semana 6, tudo o que aconteceu naquele jogo em Green Bay é passado. É outro jogo, outra situação e outro campeonato. Esse será o duelo de duas das melhores linhas ofensivas da NFL, torcer para a nossa ter um aproveitamento superior no geral. Packers 27 x 20 Cowboys